Tratamento para Dores durante a relação (Dispareunia)

Tratamento para Dores durante a relação (Dispareunia)

Sobre a Disfunção

Etimologicamente, a expressão Dispareunia, significa “dificuldade no coito”. Segundo MacKay e cols. (1985), as Dores Durante a Relação são sintomas que se apresentam em cerca de 2% a 4% das consultas ginecológicas e, de acordo com Lopes (1989), esse é o distúrbio sexual que mais apresenta causas orgânicas – em torno de 60%.

A Dispareunia pode ocorrer tanto com homens quanto com mulheres, porém são mais frequentes no sexo feminino. O exame genital, seguido ou não de exames laboratoriais, juntos a uma Avaliação Psicológica, são imprescindíveis para o diagnóstico.

Nos homens, a Dispareunia é, sobretudo, determinada pelas enfermidades do pênis: fimoses, doença de Peyronie, fístulas, traumatismos, dermatites e herpes, dentre outras. Nas mulheres, as Dores Durante a Relação podem ser causadas por lubrificação vaginal inadequada, malformações vulvovaginais, vulvovaginites, traumatismos vulvovaginais, alterações tróficas, lesões dermatológicas ou afecções do aparelho urinário, dentre outras.

Mesmo, geralmente, tendo causas físicas, há sempre um comprometimento psíquico, que contribui para ampliar a intensidade do sintoma doloroso. A dor produzida pela tentativa de cópula soma-se à frustração e ao medo, gerando a tensão dos músculos constritores, que deixa o indivíduo ainda mais apreensivo e  agrava a situação vivenciada.

Na Dispareunia, as causas psicológicas mais comuns encontram-se em histórias de vida marcadas por abuso sexual; por conflitos no relacionamento conjugal; ou por questões emocionais profundas e traumáticas que podem levar a pessoa a “boicotar” o prazer; por exemplo.

Tratamento para Dores durante a relação (Dispareunia)

Os programas de tratamentos terapêuticos da Dispareunia são estruturados em três principais itens: A identificação do par ou casal, a formulação do diagnóstico e a escolha do segundo profissional – médico(a) – que irá contribuir para o programa de tratamento, caso necessário.

O diagnóstico baseia-se nas queixas para identificar, qualificar, quantificar e realizar a avaliação subjetiva, a análise etiológica e a análise das áreas da personalidade do paciente. Em seguida, é feito o planejamento da terapia, a aplicação de procedimentos e, finalmente, a avaliação dos resultados.

As Dispareunias Orgânicas são tratadas com procedimentos médicos e farmacológicos próprios, indicados e monitorados por um(a) profissional da saúde e, em geral, acompanhadas por um(a) terapeuta sexual.

E, quando têm causas psicológicas, as Dores Durante a Relação são tratadas com base na aplicação de técnicas da terapia comportamental, com o auxilio da psicanálise.

A abordagem psicanalítica trabalhará os sentimentos da pessoa, para a ressignificação de marcas emocionais, antigas, deixadas na ocasião do(s) acontecimento(s) traumático(s).

Esses tratamentos têm demonstrado efetividade, também, no que diz respeito ao crescimento e ao amadurecimento da pessoa portadora da Dispareunia.

 

Referências Bibliográficas:

MACKAY e cols. Técnicas Cognitivas para el Tratamiento del Estrés. Martínez Roca: Barcelona, 1985.

LOPES, G. P. Sexualidade Humana. Medsi: Rio de Janeiro, 1989.



Top