Como lidar com a culpa e a responsabilidade nos relacionamentos afetivos?

Como lidar com a culpa e a responsabilidade nos relacionamentos afetivos?

Entender a diferença entre tais características é fundamental para manter relações saudáveis.

Todo mundo comete erros, isso é completamente normal do ponto de vista psicológico e humano. E quando os erros são detectados é comum se sentir culpado. Porém, é necessário entender que existe uma diferença entre reconhecer que errou assumindo a responsabilidade, e assumir um erro sentindo-se culpado.

A psicóloga e sexóloga, Sônia Eustáquia da Fonseca, explica que reconhecer o erro é saudável e assumir a responsabilidade também. “Na verdade, é adequado sentir-se culpado quando se comete um erro, principalmente se a falha prejudicou alguém. O sentimento de culpa é peculiar ao ser humano e deveria ser comum a todos humanos, mas, infelizmente, existem pessoas que não são tocadas pelo sofrimento alheio, mesmo quando se trata de parentes ou pessoas próximas”.

A especialista completa que é importante reconhecer o desacerto e assumir a responsabilidade pelos erros cometidos, porque só se sentir culpado não desfaz a situação do passado e não corrige os erros. “O sentimento de culpa traz muito sofrimento e várias consequências negativas para a autoestima. Esse sentimento acarreta um peso emocional e um mal-estar muito grandes, e, normalmente, ocorre a autopunição”, destacou.

Culpa x Responsabilidade

Ela comenta que existe diferença entre ambas as situações. “A culpa paralisa e a responsabilidade mobiliza. Com o sentimento de culpa presente, a pessoa se isola, fica agressiva, estagnada no passado, costuma ficar remoendo e culpa outras pessoas”, afirmou Sônia. 

A psicanalista acrescenta que em um relacionamento, quando algo se quebra, não importa quem é o culpado porque é da responsabilidade dos dois superar e transformar o relacionamento. Portanto, buscar o equilíbrio é a chave para manter tudo saudável, já que a culpa gera o sentimento de não merecimento que pode durar a vida toda quando não tratado.

O que fazer?

De acordo com a especialista, o sentimento de culpa, geralmente, começa na infância por meio das relações. As crianças, nessa fase do desenvolvimento, são muito rigorosas consigo mesmas e com os outros. “Uma criança invadida por um sentimento de culpa se torna ansiosa, pouco produtiva e também pode desenvolver comportamentos agressivos. É na infância também, onde se inicia a trilha que vai levar à confusão entre culpa e responsabilidade”.

Portanto, ela ressalta que a atenção deve ser continua. “Nesses casos, é importante conversas e explicar a diferença desde cedo. E, ao se tornar adulto, caso o problema não tenha sido resolvido, um especialista pode auxiliar a entender as situações corretamente”, garantiu Eustáquia.

...

Publicado em:
25 mar 2019

Categoria:

Amor e Sexo Bem Estar


Top